quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

NOSSO SET UP E A REALIDADE



Quando começamos a tocar profissionalmente temos o ânimo de uma orquestra sinfônica e com o tempo perdemos um pouco a empolgação e acabamos nos comportando como um piano solo.

Essa frase é meio que uma adaptação de uma velha piada do meio musical que diz: ”Na hora de tocar é um conjuntinho, mas, na hora de comer é uma orquestra sinfônica!” e retrata uma realidade do músico de uma maneira geral.

Quando começamos a tocar levamos todo nosso equipamento montamos sem medir esforços e tocamos essencialmente por prazer e vontade de crescer. Com o tempo e o dia a dia da sonorização “cansada” dos bares e casas de show, a falta de preparo e informação de muitos técnicos de som, aliadas aos cachês ridículos e a falta projeção nos faz céticos quanto à passagem de som e aos resultados palpáveis da nossa gig de cada dia.

Penso que o tipo e a qualidade do trabalho vão ditar nossa postura em relação ao equipamento empreendido. Geralmente em gravações procuro levar o equipamento necessário de acordo com o estilo e várias possibilidades de timbres de caixas e pratos para ter uma abrangência legal.

De acordo com estilo levo um set up de medidas maiores, mais graves e mais rock and roll. E às vezes somos surpreendidos com pedidos do tipo: ”Cara você tem um bumbo de 18 polegadas pra levar?”

No estúdio esse dilema é minimizado, pois além de ser um ambiente controlado, geralmente proporciona mais prazer e contentamento musical, mas em situações “ao vivo” a logística e a nossa real vontade de estar ali pesam mais e nos fazem reavaliar nosso set up.

Por exemplo: se vou de sub em um trabalho numa casa noturna que terá uma banda antes e o lance é chegar e tocar, o negócio é facilitar pra todos e somente levar os acessórios básicos e indispensáveis, trocar os pratos se arrumar na bateria e “mandar bala”!

Nessas situações não devemos “girar a lâmpada” e causar atrasos e “saias justas”, a menos que o equipamento esteja te impossibilitando de tocar com decência.

Mas em situações em que temos um bom equipamento de sonorização, um bom técnico e tempo pra passar o som nada melhor do que levar seu próprio instrumento.

Estudamos com um instrumento e quando tocamos muitas vezes usamos o que tiver à disposição, tendo que nos adaptar às distâncias entre as peças e à resposta das peles nos tambores. Cada combinação de pele e afinação muda nosso aproach em relação aos toques.

Parece “balela” mais é a mais pura verdade: com o nosso instrumento é sempre melhor! Experimente trocar a guitarra de um músico minutos antes dele entrar em cena e lhe dê outra com regulagem totalmente diferente da que ele é acostumado. Ele com certeza renderá um terço do poderia!

Com a bateria é a mesma idéia, mas, geralmente devido ao tamanho e à dificuldade natural da logística do instrumento muitas casas de shows e estúdio têm suas próprias baterias, o que em parte nos facilita a vida, mas de certo modo também nos atrapalha.

Enfim, temos que mais uma vez ter o bom senso de perceber em quais situações devemos empreender e em quais relaxar e facilitar.

Leve em consideração não somente o cachê, mas também o crescimento musical, o bom relacionamento e a projeção que o “evento” pode te proporcionar, seja ele um show, uma gravação ou um “sub” em cima da hora.

6 comentários:

Mariana Rodrigues / Curitiba disse...

Ola Ramon,
que bacana esse post,adorei.
O legal é que você gosta do que faz...É super talentoso,simpatico,muito gente boa.
Seus fãs agradecem.rsrs... \o/

Beijãooo =*

Alberto Machado disse...

Oi Ramon,
cara que rápido!!!... valeu por atender minha sugestão, este post foi super interessante e me ajudou a refletir sobre essa questão.
Qdo se lê suas postagens percebe-se nitidamente o prazer que vc tem em fazer musica com o coração, isso é maravilhoso pois transmite uma injeção de ânimo qdo muitas vezes nós bateristas e musicos em geral não enxergamos muitas perspectivas voltado para a musica, em um pais que lamentavelmente embora com uma cultura riquíssima, atualmente a arte é desvalorizada de maneira inexorável.
Grande abraço! ... valeu por adicionar no Orkut! rs

Alberto

Ramon Montagner disse...

veleu mariana e alberto!
Obrigado por conferir as postagens!!
estamos à disposição ok?
abração

WENDELL ANTONIO DELGADO DA SILVA disse...

FALAI AI RAMON,BLZ!!!!

SOU SEU FÃ RAPA,ADMIRO MUITO SEU TRABALHO,O SEU TRABALHO ME INSPIRA MUITO.AS VEZES TENHO PREGUIÇA DE ESTUDAR,MAS QUANDO VEJO VC TOCAR A AUTO ESTIMA VAI LA EM CIMA,AQUELE DVD COM A ALINE BARROS ENTÃO,FALA SERIO,FICOU SHOW DEMAIS,MUITA TECNICA E MUSICALIDADE DA SUA PARTE.

PARABENS RAMON!
TUDO QUE A GENTE FAZ COM O CORAÇÃO DA CERTO,POR ISSO VC É O QUE É,UM DOS MELHORES BATERA DO BRASIL.VALEU POR ESTE POST PRA MIM FOI MUITO COMPENSADOR,JA DEU P/ APRENDER MAIS UM POUQUINHO.

UM FORTE ABRAÇO
FIQUE COM DEUS!

WENDELL ANTONIO DELGADO DA SILVA disse...

I AE RAMON,

EM 1º LUGAR EU QUERO DIZER PRA VC ,QUE SOU SEU FÃ DE CARTEIRINHA,ADMIRO MUITO SEU TRABALHO.PRA MIM VC É UMA INFLUENCIA,TUDO QUE A GENTE FAZ COM O CORAÇÃO,DEUS NOS ABENÇOA,E VC É UMA DESSAS PESSOAS,POR ISSO QUE VC É O QUE É,UM DOS MELHORES BATERISTAS DO CENARIO MUSICAL.PARABENS MONTAGNER
UM FORTE ABRAÇO!!!!!!!!!!
FIQUE COM DEUS!!!!!!!!!

Ramon Montagner disse...

valeu Wendell grande abraço e obrigado pelas palavras...