quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Gravando Ivan Barreto Estúdio Baeta/IVC Comunicação






Gravei nesses dias o cd do cantor gospel Ivan Barreto pela IVC COmunicação no Estúdio Baeta em SBC, com arranjos e baixo do Robertinho Carvalho e pianos aceusticos do Ogair Jr .
Usei Minha Odery Eyedentity de Birch com peles G2 Coated e os Pratos Impression da série Rock e Mixed.
+Crashs de 18º,19º e 20º série Rock;
+Ride Mixed de 21º;
+Chimbal de 14º série Rock e Splah de 8º tb série Rock.
Tambeem usei num afaxa o Cajon FSA Square.
Som encorpado e brilhante do set up.Muito contente com o resultado.
Abraços....

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

No Festival Jazz à Carthage na Tunisia em Abril


Em Abril estarei nesse festival de jazz com  cantora Paula Lima e os músicos Marcelo Mariano, Felipe Cruz e Leo Mendes. Depois do maldito carnaval é bom começar o ano fazendo música boa em outras terras.Abraços!

http://www.jazzacarthage.com/

Na Lata(Vinicus Calderoni) por Graça Cunha no cd Tiro de Letra



Nesse trabalho da querida Graça Cunha me utilizei quase que no cd inteiro da Cajonteria com elementos percussivos como congas, bongôs e Darbuka.
Com arranjo e guitarras de Dino Barioni, Robertinho Carvalho no baixo, Ogair Junior no piano e a voz firme e suingada da Graça Cunha.Espero que curtam!!
Abraços

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Cajonteria Curupira e Algo Mais..



Neste video incorporei o uso do pedal tocado de maneira invertida , com o calcanhar , no cajon e continuei usando as percussões adicionais.Espero que gostem!1
abraços

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Os Códigos




É necessário estudar música e procurar entender seus códigos. Seja em um instituição de ensino ou de modo particular.
A música é habitada por uma grande maioria de leigos, amadores e pessoas que se utilizam da música como diversão, terapia, meio de vida,  relaxamento ou coisas parecidas.
Absolutamente nada contra essas práticas mas nós profissionais devemos estudá-la com respeito e dedicação a fim de perceber os meandros e caminhos por onde ela pode nos levar.
É compreensível mas  extremamente irritante a ignorância de alguns artistas e músicos perante conceitos e termos básicos usados diariamente em nosso cotidiano de shows, gravações e ensaios e que, DEVERIAM, ser minimamente entendidos e empregados com muita naturalidade.
Não é suportável um cantor(a) não saber se expressar em ralação a um andamento que a banda pratica e que difere do seu “click” interno. Não saber dizer:” Gente, eu sinto essa música mais lenta. Poderíamos tocá-la mais para trás?”.
Se enrrolar com as palavras e dizer, simplesmente porque aprendeu isso em alguma situação, “Gente, tá correndo” é de uma falta de percepção e respeito pela música e pelos músicos inacreditável e infelizmente bem real e corriqueira.
Cantores não saberem seus tons nas músicas. Caramba! Aprenda um “violãozinho” básico e saiba tirar seus tom né!
Músicos não saberem o básico da escrita  musical e terem que criar e escrever seus próprios códigos, inteligíveis somente à  sim mesmos e olhe lá!
Deveriam criar o curso livre e remunerado intitulado “Musicalização para Cantores e afins”. E me auto satirizando e percebendo a triste realidade: nem assim conseguiriam fechar uma turma!!
( foto "emprestada da net..rs"