quarta-feira, 29 de junho de 2011

São Paulo Ska Jazz na coletãnea da MadButcher da Alemanha


E a São Paulo Ska Jazz da qual faço parte saiu na festejada coletãnea da MadButcher da Alemanha.
que reúne as melhores novidades do SKA mundial e os lança anualmente.
Pra nós é uma honra e motivo de festa estar entre as 22 melhores.Abraços

Segue o link:

http://www.madbutcher.de/index.php?id=44&backPID=37&tt_news=778

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Grupo de Percussão de Cãmara da FITO


Nesse semestre na FITO inicamos os ensaios do nosso grupo de percussão de cãmara .
Com o Douglas, Matheus, Giba Favery e Eu, sob o comando do professor Saltinni tocamos
em nossa primeira audição dos alunos no semestre peças de compositores contemporãneos.
Está sendo bem legal proveitoso.
Depois de "véio" querer fazer faculdade dá nisso!!

sábado, 18 de junho de 2011

Gravando com Leandro Aguiari



Ontem tive o prazer de gravar mais dois trabalhos com o produtor musical Leandro Aguiari em seu novo estúdio na Granja Viana em São Paulo.
Em um deles coloquei as percussões do novo trabalho do talentoso cantor gospel Davi Fantazinni e outro foi uma participação no novo trabalho gospel da Baby do Brasil, uma produção internacional com participação de grandes músicos como Abe Laboriel, Ron Kenolly entre outros.
Coloquei nesse trabalho percussões brasileiras em duas faixas pra dar aquele molho nativo ao trabalho feito inteiramente lá em Nova York.
Conhecer a Baby foi uma honra e ver  que Deus fez em sua vida é ainda mais legal.

domingo, 12 de junho de 2011

Ao amigo Johnny Alf



Foto após show no Shopping Galleria em Campinas em 1998

Passado algum tempo de sua morte sinto a necessidade de falar algo sobre esse grande mestre da nossa música e pessoa muito importante na minha vida musical.
Iniciei tocando com ele por volta dos 18 anos e permaneci por quase 14 anos acompanhando-o em shows,gravações e viagens.
Dias antes daquele show que ele fez em Campinas em 1993 no antigo Almanaque Bar onde eu, o baiixista Jorge Oscar e o pianista Albano Salles abrimos a noite pra ele, havia visto uma materia a seu respeito em algum jornal ou revista da cidade da qual já não me lembro o nome, e vi no subtítulo:"Johnny Alf, o músico dos músicos".
Pensei com meus botões que seria muito legal tocar com ele um dia.
E por esses fatos talvez enexplicáveis da vida depois desse show de abertura o meu amigo e baixista Marcos Souza que já tocava a um tempinho com ele me ligou e disse:
“Ramon o Johnny alf me pediu pra te convidar pra tocar com ele. Vc topa?”
Minha resposta foi imediata como de esperado e após alguns meses estreiaria num Bar do tradicional bairro paulistano Bexiga chamado “Boca da Noite”.
Em outras épocas esse fora um dos bares mais agitados da noite paulistana mas naquele momento já estava bem “cansado” e como que fazia juz ao nome que  com apenas uma palavrinha a mais diria o que realmente era o local:”(meia) Boca da Noite”.
Nesse dia no local havia uma bateria bem estragadinha que se não fosse a ajuda do amplificador do Marcos segurando o bumbo a bateria não pararia em pé.
Mas passado esse momento e aprovado pelo Johhny continuei a acompanhá-lo.
Ou tentar acompanhá-lo decentemente.
Era pessoal e musicalmente imaturo e trazia aquela sede de tocar de um menino que só assistia video-aulas norte americanas de Dave Weckl e Denis Chambers.
Cometia muitos excessos e ele naturalmente com sua serenidade e muitas vezes silêncio me dizia muito.
Com ele posso dizer que aprendi a tentar ser sutil quando isso nos é cobrado pelas situações musicais às quais somos expostos.
Com ele pude conhecer grandes músicos e pessoas como Marcos Souza, Alex Bittencourt, Idriss Boudrioua, Dom Chacal, Nelson Valencia ,Almir Chediak, Ronaldo Bastos , Leni Andrade, Emilio Santiago, Alaíde Costa entre outros.
No dia de seu enterro também estava com minha saúde debilitada e não pude comparecer à cerimônia.
Presto aqui minha simples homenagem àquele que influenciou muitas gerações e diretamente a minha vida musical.
Grande abraço e saudades.