quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

O METRÔNOMO OS ANDAMENTOS E A ANSIEDADE




Desde que começamos a estudar a bateria nos dizem: ”Você tem que estudar com metrônomo pra dar segurança!”
Realmente é fundamental estudar com o metrônomo, pois é um treinamento para quando viermos a gravar ou tocar tendo que ouvi-lo.
Bateristas sempre sofrem desse mal de ter que dar o andamento certo pro resto da banda. Sempre falam:”Conta aí!”.
E realmente na maioria das vezes somos os responsáveis por manter o andamento da música. mas não somos os únicos pois as vezes a música inicia com piano e voz, ou só piano ou qualquer outro instrumento que não seja a bateria.Mesmo assim as vezes olham pra trás e falam: “Está devagar!”rsrs

O baterista comanda o beat e a pulsação da banda. Ele pode tanto estragar tudo como salvar uma gig.Temos esse “poder” de segurar uma música que está “correndo” ou “atrasando”, mas não fazemos milagres quando a ansiedade entra em ação.
Ansiedade do maestro, ansiedade da cantora, ansiedade de um músico que “destoa” do contexto musical da ocasião.

Existe o andamento da gravação e o andamento do show que geralmente é um pouco mais pra frente quase sempre pra dar mais “pique” ao show.
Mas existem situações onde a cada show te pedem um andamento. A pessoa está ansiosa e pede um andamento ansioso. Ou a pessoa está muito relaxada e te sugere um andamento “morrendio”...rsrs
Ou seja, se o andamento não está cravado no metrônomo ele pode variar muito. Uma certa variação é bem normal, mas a ponto de não conseguir cantar a melodia ou articular a letra de tão rápido ou tão lento que foi “contada” é um sinal de que a ansiedade ou a completa falta de concentração tomou conta de você.

Em estúdio tocar relaxadamente e concentradamente com o metrônomo é um pré-requisito. Devemos ter a tranqüilidade de ouvi-lo e mesmo assim “suingar” e não deixar a música tensa.
Em várias situações “ao vivo” também somos postos à prova quando tocamos ouvindo trilhas ou somente o metrônomo. Temos que além disso ouvir o próprio instrumento e o restante da banda o que muitas das vezes é uma tarefa árdua devido a vários fatores.

O importante é saber que nem sempre somos os responsáveis por adiantar ou atrasar o andamento numa música, mas temos essa cobrança em nossas costas. Temos que resolver essa parada!!!

Recentemente toquei com um baixista muito bom mas no fim do trabalho, devido talvez ao fato de estar lendo o show todo, ou não estar me ouvindo direito estava correndo em relação à bateria e ao resto da banda.Afirmo isso pois ouvia a banda tocando junto comigo e ele destoando do resto.E ele nem percebeu!
Isso faz mal a um baterista digamos.. ”balzaquiano” como eu!!!
Quase parei e gritei “Presta atenção caramba! Tà correndo pra car....!”
Mas minha falta de intimidade com a figura me impediu de fazê-lo!!!
Ou seja: nem sempre somos os “culpados”!

10 comentários:

Grá Esteves disse...

Que bacana, seus textos são sempre interessantes e informativos, mesmo para quem não é do ramo!
Saudade de te ver tocar!
Beijo.

Ramon Montagner disse...

valeu Gra
que bom que tenha gostado!!
bjoca

Fred disse...

Vlw ... isso tem sido bacana... continue escrevendo!!!!
Fred

Paullo Di Castro disse...

Parabéns pelos artigos, Ramon! Sobre a diferença de andamento na gravação e em shows, você acha natural que se acelere nas apresentações ao vivo? O Rush ao que me parece faz é diminuir o andamento, isso é mais característica de rock progressivo? Você prefere uma gig em que o cantor ou diretor musical do show tem personalidade para subir ou abaixar o andamento durante a apresentação, ou ir guiado pelo metrônomo, lembrando de swingar é melhor?
Abraço

*Lua* disse...

Bastante interessante o texto, gostei muito, aliás, gosto de vir aqui ler e acompanhar!
Não vejo a hora de vê-lo em Na Batucada da Vida outra vez!!!

wagnergund disse...

Parabens Ramom. Muito verdadeiro essa postagem e vivenciamos essa realidade dia-dia nos ensaios e ate mesmo em apresentações. E infelizmente sempre somos os culpados se o andamento esta rapido ou devagar... Grande abraço.

Ramon Montagner disse...

obrigado gente pelos comentarios..
é bom saber que vcs estão lendo..
abração em todos

Ramon Montagner disse...

Paulo tudo bem?
Acelerar as músicas é uma tendência durante os shows,,pois qdo se ouve o cd no carro, ou em casa se tem uma noção da música mas ela no palco tem outras funções tb!!Interagir mais com o público e tal..manter o pique do show...
Cara prefiro dependendo do estilo da música quando se pode ter o show todo clicado.Mudar na hora as vezes é bacana mas todo show vira agonia né!! obrigado e abração

Guilherme disse...

A culpa é SEMPRE MINHA! heheehe

Ramon Montagner disse...

kkkkkkkkkkkkkkk Gui figuraça!
mr.dick nos perseguirá por toda vida!!! abração